31 MAR

Image-empty-state.png

“Berio”

Grupo de Música Contemporânea de Lisboa

“Caminhos d’Orfeu”... uma década decorrida sobre o lançamento do duplo CD Caminhos de Orfeu com nove obras encomendadas, prossegue o GMCL - agora cinquentenário – na senda incansável dos mesmos caminhos, da promoção e difusão da criação musical contemporânea portuguesa, seus autores e intérpretes.
Percorremos, nesta temporada, novas obras entretanto promovidas e estreadas pelo GMCL, contributo ímpar para o reforço e enriquecimento do património musical contemporâneo português, também com a sua divulgação aquém e além-fronteiras.
“Caminhos d’Orfeu”, na sua pluralidade de “caminhos”, retrata de igual modo a pluralidade estética e de linguagens musicais presentes no repertório do GMCL ao longo desta sua permanente e fecunda atividade de mais de meio século – desde o seu fundador, Jorge Peixinho (cuja obra constitui o “core” da atividade e do repertório do GMCL), à mais jovem geração de compositores, a iniciar o seu caminho.
Neste concerto apresentaremos um programa que parte da obra Remake de Jorge Peixinho, ela mesma uma revisitação de Estudo II do autor para Piano Solo, como ponto de partida para as peças encomendadas pelo GMCL em 2021 aos compositores Anne Victorino d’Almeida, Carlos Marecos e Alexandre Delgado. Três obras novas, cada uma com uma estética musical individual que explora diferentes vertentes características do GMCL: a voz, um solista e a interação entre o ensemble e a eletrónica.
A terminar este concerto Folk Songs de Luciano Berio, uma obra incontornável do reportório musical camerístico do séc. XX, onde a palavra, a tradição e a renovação se entrelaçam em combinações instrumentais que geram ambientes de sonoridades cristalinas, plenas de energia e sentimento.

Data

31 de março de 2022, 20:30:00

Local

Teatro Miguel Franco, Leiria

Entrada

5€
50% Desconto para Sócios do Orfeão de Leiria

Programa

"Berio"
Direção, Rui Pinheiro

J. Peixinho – Remake (1985)
A. Delgado - Os ingleses fumam cachimbo (2021)
A. V. Almeida - Fantasia para Clarinete Baixo e Ensemble (2021)
C. Marecos - um sol mais sol que o sol (2021)
L. Berio - Folk Songs (1964)

Biografia

Em 2020, o GMCL (Grupo de Música Contemporânea de Lisboa) assinalou o seu cinquentenário, nacional e internacionalmente, com diversas celebrações e eventos – concertos, conferências, publicação de livros evocativos e lançamento de um DVD.
Depois de um ano dedicado aos seus 50 anos de história e às efemérides evocativas de Jorge Peixinho e Clotilde Rosa, apresentamos uma temporada de renovação da tradição musical contemporânea, qual fluidez do tempo, trazendo a herança até ao presente, revisitando as origens, sem, no entanto, deixar de construir pontes para a vanguarda da contemporaneidade. Os trabalhos discográficos do GMCL com música de Jorge Peixinho, editados por “La Mà de Guido” (LMG 4004, 4008 e 2147) mereceram o aplauso entusiástico e unânime da crítica especializada, bem como o duplo CD Caminhos de Orfeu (LMG 2115), dedicado a diversas obras encomendadas pelo Grupo.
Em 2019, o GMCL editou um disco monográfico dedicado à música de câmara de Filipe Pires (LMG 2159) e em 2020 apresentou um DVD com obras de Constança Capdeville, gravado ao vivo no Teatro Municipal de São Luiz. Para celebrar a temporada 2020 - Três nascimentos: Clotilde Rosa 90 anos (n.1930); Jorge Peixinho 80 anos (n.1940); GMCL 50 anos (n. 1970) – O GMCL editou em parceria com a AVA – Musical Editions dois livros, GMCL 50 Anos e Clotilde Rosa – in Memoriam, que se encontram disponíveis no catálogo desta editora. Fundado em 1970 por Jorge Peixinho, com a colaboração de Clotilde Rosa, António Oliveira e Silva, Carlos Franco e António Reis Gomes - aos quais se juntaram José Lopes e Silva e outros instrumentistas e cantores - o Grupo de Música Contemporânea de Lisboa (GMCL) é o primeiro grupo português de música contemporânea, desempenhando um papel histórico de vanguarda na abertura da sociedade portuguesa à estética musical do seu tempo. A sua primeira apresentação pública aconteceu no Festival de Sintra de 1970, mantendo, desde então, uma constante regularidade nas suas apresentações no país, incluindo gravações para a rádio e televisão. Logo em 1972, teve a sua primeira deslocação ao estrangeiro, participando no Festival de Arte Contemporânea de Royan. Ao longo dos seus 50 anos de existência – meio século de actividade ininterrupta - o GMCL apresentou-se em regularmente fora de Portugal, nomeadamente em concertos e festivais de música contemporânea em Amsterdão, Acqui Terme, Ávila, Badajoz, Bamberg, Barcelona, Bayreuth, Belo Horizonte, Bruxelas, Cagliari, Cardiff, Dunkerque, Lille, Ljubljana, Londres, Madrid, Milão, Naestved, Nice, Roterdão, Santos, São Paulo, Sevilha, Siena, Trieste, Turim, Valência, Varsóvia e Zagreb. Em Portugal, destacou-se a sua participação regular nos Encontros Gulbenkian de Música Contemporânea, em Lisboa, e ainda nos Festivais do Estoril e de Coimbra, Europália 91, Teatro Nacional de S. Carlos, entre outros. Mais recentemente, passou a ser presença regular nos principais Festivais de música do país. A discografia do GMCL compreende obras de Jorge Peixinho, algumas dirigidas pelo próprio compositor, para além de numerosas criações de outros compositores. O Grupo gravou também obras de compositores portugueses para a Tribuna Internacional de Compositores e participou em várias obras originais para teatro, cinema e multimédia, tendo sido distinguido com a medalha de Mérito Cultural, atribuída pela Secretaria de Estado da Cultura, como reconhecimento da sua actividade de divulgação da cultura musical contemporânea nacional e estrangeira. Divulgar obras de autores portugueses contemporâneos, com incidência na obra de Jorge Peixinho, é o cerne da missão do GMCL. Apoiado pela DGArtes, desenvolve desde 2000 um projecto de encomendas de obras a compositores com a respectiva apresentação pública, divulgação, edição de partituras e registo fonográfico. Paralelamente, o GMCL realiza uma regular e fecunda acção pedagógica junto de escolas do Ensino Artístico, na criação de públicos e na formação de novos maestros e intérpretes.