10 ABR

Image-empty-state.png

Abertura Opus 75 de Carlos Marques

Orquestra de Sopros de Leiria
Direção, Carlos Marques

Concerto final do Estágio da Páscoa/ Residência artística da Orquestra de Sopros de Leiria, sob a direção do maestro e compositor Carlos Marques.
A Orquestra de Sopros de Leiria como base a Orquestra de Sopros da Escola de Música do Orfeão de Leiria e conta neste concerto com vários alunos da Região de Leiria, que foram selecionados através de provas .
Neste concerto serão apresentadas um conjunto de obras que exploram as novas sonoridades da Orquestra de Sopros, destacando-se a estreia mundial da Abertura Opus 75 do Compositor Carlos Marques, obra dedicada aos 75 anos do Orfeão de Leiria.

Data

10 de abril de 2022, 17:00:00

Local

Teatro José Lúcio da Silva, Leiria

Entrada

Entrada Gratuita, sujeita a levantamento de bilhete na bilheteira do Teatro.

Programa

Abertura Opus 75 de Carlos Marques
Xerxes - John Mackey
Tantum Ergo  - Carlos Marques
The Unending Stream of Life - David Maslanka

Biografia

A Orquestra de Sopros foi fundada pelo maestro Alberto Roque em setembro de 1998. Atualmente é dirigida pelo maestro Mário Teixeira, tendo sido dirigida por maestros convidados como José Brito, Alberto Roque, Luís Casalinho e Henrique Piloto, entre outros. Destacam-se, como atividades regulares, a realização de concertos por vários locais do país e a realização de um estágio anual, com maestros convidados. Este agrupamento é constituído por cerca de 50 músicos, sendo que alguns deles são ex-alunos da Escola de Música do Orfeão de Leiria.

Carlos Marques nasceu em 1973. Começou a sua aprendizagem na Banda União Musical Pessegueirense. Estudou trompete no Conservatório de Música de Aveiro. É licenciado em Teoria e Formação Musical pela Universidade de Aveiro. Frequentou o Master Degree in Band, Brass Band and Fanfare Band Conducting com Alex Schillings no Royal Conservatory of Music of The Hague, Holanda, e o mestrado em Direcção na Universidade de Aveiro. Frequentou também o doutoramento em Direcção na mesma Universidade. Frequentou cursos e masterclasses de direcção com Tijmon Botma, Klaas van der Houde, Robert Houlihan, Alex Schillings, Ernest Schelle, Mark Heron e Vasco Pearce de Azevedo. É diretor artístico da Banda Amizade – Banda Sinfónica de Aveiro e maestro da Banda União Musical Pessegueirense. Dirigiu as Orquestras do Conservatório da Jobra (Sinfónica, Sopros e Cordas). Dirigiu diversos solistas consagrados, como Henri Bok, Horácio Ferreira, Nuno Machado, Joana Soares, Adélio Carneiro, Gil Magalhães, João Bettencourt da Câmara, Miguel Silva e Sousa, Jarret Butler e Raquel Andrade. Tem também feito direção artística de diversos concertos com Enapá 2000, As Vozes da Rádio, Paulo de Carvalho, Brigada Victor Jara, Fausto Bordalo Dias, Clarinetes Ad Libitum, The Legendary Tigerman, Mimo’s Dixie Band, Capicua, Keso, Virtus e Deau. Tendo lecionado no ISEIT Jean Piaget de Gaia, Viseu e Mirandela, nas Escolas Superiores de Educação Jean Piaget de Viseu e de Gaia e no Conservatório de Música da Jobra, é atualmente docente no Conservatório de Música do Porto. É frequentemente convidado para dirigir em Portugal, Espanha, Holanda, Suíça e Itália, maioritariamente cursos, workshops, masterclasses e cursos de direção e estágios de orquestra de cordas, orquestra de sopros e orquestra sinfónica para jovens instrumentistas. Carlos Marques é também compositor, sendo editado pela Molenaar Editions BV (Holanda). Possui uma vasta obra, sobretudo de música para sopros, tocada e gravada um pouco por todo o mundo. A sua peça “The Transit of Venus” foi incluída pelo Western Band International Clinic (EUA) no Top 100 de 2008 da revista Bandworld. Tem participado como júri em vários concursos nacionais e internacionais e é regularmente convidado como conferencista e orador em diversos eventos organizados por Universidades, Conservatórios, Fundações, Federações de Bandas e Bandas, em Portugal e no estrangeiro.