Stillness in time

Data

8 de maio de 2021, 18:30:00

Local

Teatro José Lúcio da Silva, Leiria

Entrada

Entrada Gratuita, sujeita à lotação da sala

Programa

Stillness in time

Stillness in time

DESIDÉRIO LÁZARO featuring DANIEL BERNARDES

Desidério Lázaro, reconhecido saxofonista português, volta a aventurar-se num projeto a duo com composições originais, desta feita com o consagrado pianista Daniel Bernardes.
O seu oitavo álbum STILLNESS IN TIME, gravado em dezembro de 2020 no Hot Clube de Portugal, relata as sensações vividas na quietude do lar em período de confinamento.
Mudança, fragilidade, incerteza, passando pela aceitação e esperança, são alguns dos temas propostos pelo Desidério que, numa dança entre saxofone e piano, vão contando a viagem das emoções.
As composições, influenciadas pela música clássica do período romântico - mas sem nunca abandonar o jazz - abrem as portas à improvisação e, embora sirvam como ponto de partida, apenas dão o mote para ambientes criativos e intensos, adjetivos que são apanágio destes dois grandes músicos portugueses.
Música original e fresca a contrastar com os momentos repetitivos e complexos da vida real, STILLNESS IN TIME é um álbum de canções, de estados de espírito, uma pausa no tempo que nunca pára.

Biografia

Desidério Lázaro
Nasceu em Faro, a 6 de junho de 1982.
Iniciou os seus estudos de flauta aos 6 anos de idade, mudando-se para o clarinete aos 10. Estudou música clássica nos conservatórios de Faro e Setúbal, onde foi aluno de Paulo Gaspar, e foi membro da Orquestra Clássica Juvenil do Algarve, Orquestra de Metais do Algarve, Camerata Musical do Barreiro e diversas bandas filarmónicas e agrupamentos de música de câmara.
Em 2002 ingressou no estudo da música Jazz e do saxofone no Hot Clube de Portugal, novamente com Paulo Gaspar e Pedro Moreira.
Dois anos mais tarde, mudou-se para Amesterdão, onde terminou com mérito a licenciatura em Jazz no Conservatório de Amesterdão, e onde teve oportunidade de estudar com Ferdinand Povel, Jasper Blom e Dick Oatts. Em 2013 termina o Mestrado em Jazz Performance na Escola Superior de Música de Lisboa. Pelo caminho fez centenas de concertos por todo o país e no estrangeiro (Espanha, Alemanha, Holanda, Bélgica, Áustria, Itália, Macau) e, a par da sua atividade como músico, leciona na Escola Superior de Música de Lisboa e Universidade Lusíada de Lisboa. Desidério Lázaro apresenta-se em variadíssimas formações que vão desde o jazz mais tradicional a vertentes mais contemporâneas (pop, funk, fusão), tendo já tocado com nomes como Mário Laginha, Maria João, Carlos Barretto, André Fernandes, Alexandre Frazão, assim como Luís Represas, The Black Mamba, Mafalda Veiga, Carlos do Carmo e B Fachada, entre outros.
Como autor, tem apresentado os seus projetos nos principais festivais de jazz portugueses e salas de espetáculo do país. Iniciou-se nas edições discográficas em 2010 com “Rotina Impermanente”, e o seu trabalho mais recente é “Stillness in time” (Ed autor, 2021) tendo sempre recebido críticas favoráveis e entusiastas, assim como diversas nomeações para “disco jazz do ano”.

Daniel Bernardes
Nasce em Alcobaça a 26 de junho de 1986.
Começou a estudar piano aos 5 anos de idade e aos 18 muda-se para Paris, admitido na prestigiada École Normale de Musique de Paris.
Regressa a Portugal para se dedicar ao Jazz, estudando com Filipe Melo na Escola de Jazz Luíz Villas-Boas, ingressando depois na Escola Superior de Música de Lisboa onde, pela mão de João Paulo Esteves da Silva, se torna no primeiro licenciado em Piano Jazz desta instituição.
Frequenta atualmente o Doutoramento em Artes Musicais da Universidade Nova de Lisboa.
Em 2010 apresenta o seu trio na Casa da Música com o qual lança, em 2013, o seu disco de estreia "Nascem da Terra".
Desenvolve também uma atividade intensa enquanto compositor na procura de mesclar os universos do jazz e da música erudita sendo galardoado com a Bolsa Jovens Criadores do Centro Nacional de Cultura pelo projeto "Daniel Bernardes' Crossfade Ensemble", e, em colaboração com os Drumming Grupo de Percussão, cria "A Liturgia dos Pássaros" um projeto em homenagem a Olivier Messiaen. A partir das recolhas de Michel Giacometti cria "O Rondó da Carpideira" um espetáculo multidisciplinar em parceria com o saxofonista Mário Marques e o artista multimédia Gonçalo Tarquínio.
Trabalha igualmente para Teatro assumindo a direção musical de "Cimbelino" de W. Shakespeare com encenação de António Pires para o Teatro do Bairro assim como de "Sweet Home Europa" de D. Carnevali com encenação de João Pedro Mamede, numa produção do Teatro Nacional D. Maria II.
Estreia-se em cinema com a Banda Sonora de "Peregrinação" de João Botelho, com quem voltaria a colaborar em 2019 no filme "O Ano da Morte de Ricardo Reis".

8 MAI